Segunda-feira, 1 de Setembro de 2008

Quantas?

 

 Foto: DDiarte

Quantas vidas cabem numa vida?

                  Pois, se a vida é um mundo que circula, uniforme e finito...

 

                                      Entre a vida e o profundo da noite sou Eu, descrente, imersa num silêncio medonho, tremendo...

                                                                                                                          Que breu, que imenso negro escorre de mim.

Pois, se eu soubesse....se eu soubesse quantas, quantas vidas..

 

que soprassem os ventos do medo,

que trovejasse de raiva,

que se fundisse o amor, o ódio, a paixão...

que chovessem angustias, dúvidas..certezas,

que as mentes e os corpos entrassem em erupção,

tanto fazia...

aí saberia até onde ela,

a imensa e curta vida iria...

 

 

The Story - Brandi Carlile

 

 

 

 

tags: , ,
publicado por Sara Rocha às 19:03
link do post | favorito
26 comentários:
De Chuva de Verão a 5 de Setembro de 2008 às 14:11
Este poema parecem 5 pessoas que falam. Tipo dialogo de uma peça de teatro. Dependendo do tamanho da letra, aí temos um(a) personagem. Que deve ser a Sojacaustica. Parabéns pela inovação, pela ousadia e pelo sentimento que consegue transmitir em tão poucas frases.
Não pare de escrever, pois vc fa-lo de uma maneira sublime e inteligente e tem a seu favor um bom gosto tremendo. Não pare. Escreva sff
De Salito a 5 de Setembro de 2008 às 10:56
...como diz uma nova canção dos Radio Macau, parece que a Soja vive "entre as memórias e o sonho". Preocupa-se demasiado com o que foi e o que pode ser...esquecendo-se do que realmente está a viver, pode e deve fazer, sentir, disfrutar...
Acredito que sejam várias vidas. Acredito na reencarnação. Na evolução.... mas acredito que esta, e só esta, deva ser vivida com serenidade, tranquilidade, paz...aceitando tudo no qual não podemos interferir de forma pacífica....a energia deve ser aplicada nos restantes elementos da vida, que podem e devem ser melhorados com a nossa acção.
Não sofra pelo que pode ou não acontecer.
Vibre e interaja para melhorar tudo que a sua vida tem e pode ter de melhor...
Este poust está magnificamente escrito e o bom gosto que já a caracteriza supera-se mas....espero pelo próximo, se possível, menos sombrio....
De Banderas a 4 de Setembro de 2008 às 20:41
Olá soja.

Ou as férias secaram-me as ideias e a análise ctrítica ou então este post tem muito pouco a ver comigo e com a minha forma de estar na(s) vida(s).

Não sei se temos uma ou mais vidas.
O que sei é que enquanto tivermos uma temos que aproveitar da forma mais feliz possível.

Para mim este post sabe-me a angústia e não a felicidade.

Mas... mais não digo para não destoar dos comentários aqui inscritos.

Até sempre SOJA...
De Virus a 4 de Setembro de 2008 às 15:26
Uma espécie de grito que vejo neste post.
Desespero magnificamente retratado quer pelo excelente poema quer pela fotografia.
Gostei da ousadia de como apresentou o poema, letras grandes e pequenas, conforme a grandeza ou a pequenez do sentir.
Forte, inteligente e belo.
Continue. Quero ler mais de si.
De CAVALO ALADO a 4 de Setembro de 2008 às 09:48
Bem, Soja, as férias fizeram-te bem e não alteraram em nada a tua capacidade poética.
Um poema forte, dentro do melhor a que nos habituaste. Gostei muito e saudo este regresso em foma dizendo que muitas vidas cabem numa vida, eu que o diga.
De ;-) a 3 de Setembro de 2008 às 15:49
Quantas? 1 e se possível feliz, longa e digna de TI, nina linda !!!!!!!!!!!!

M.R.S.
De Lilás a 3 de Setembro de 2008 às 14:39
Extraordinária a forma como consegue transpôr para o poema algo tão surreal! Realmento, quase todos nós, sempre que iniciamos umciclo de vida pensamos no passado, que parecem a soma de várias vidas e por vezes questionamos quantas mudanças mais irão surgir...mas, são pensamentos geralmente inconscientes. O que gosto em si, e o que gostei muito neste poema, foi a facilidade, a clareza e a fluidez que deu a um pensamento que já passou por quase todos nós.
Você não descreve a natureza, a paisagem...você descreve o que de mais íntimo se passa no Ser Humano de uma maneira extraordinária. Aí reside a diferença entre o que você escreve e o que eu tenho lido de outros escritores.
Os meus sinceros parabéns por este magnifico trabalho.
De Anónimo a 3 de Setembro de 2008 às 11:44
A vida não tem muitas vidas, a nossa vida tem é muitos momentos, mas vida só temos uma. Sou realista, sei que há momentos que pelo tempo que perduram parecem autenticas vidas, ou quando olhamos para o nosso passado e pensamos: "parece que foi noutra vida!" - MAS NÃO FOI, FOI NESTA, E É ESTA E SÓ ESTA QUE VOCÊ TEM. VIVA-A, VIVA-A COM PRAZER E TENTE TIRAR DAS ANGUSTIAS LIÇÕES DE VIDA; PARA APLICAR NA SUA ÚNICA VIDA.
Você é fantastica a escrever e tem um sentido estetico bastante apurado. Continue, escreva que escrever é dar vida!
M.
De Sopa de Letras a 3 de Setembro de 2008 às 10:32
Irra, pensei que não iria poder comentar mais o seu blogue!!!
Quantas vidas? muitas, uma. Imagine, será a sua vida uma espécie de fractal onde tudo se repete da mesma forma? É curioso, comigo é assim, e já que a menina gosta de fractais, acho que deve ponderar esta meu desafio.
Você já sabe que gosto muito da sua escrita, venho aqui sempre, ler e reler poemas/textos de uma poeta virtual, mas que consegue transmitir uma realidade de tal maneira profunda que nos permite mergulhar em si e pensar que a conhecemos muito bem.
Noto que escreve o que sente e isso é maravilhoso, tem é que ter cuidado para não se expôr em demasia, mas, Sojacaustica, a menina teve a inteligencia de não colocar a sua foto nem qualquer contacto. Bem feito!
Dou 20 valores a este post, porque na m/ opinião está perfeito.
De Marta Fernandes a 2 de Setembro de 2008 às 21:39
Tá lindo nina!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds