Quarta-feira, 16 de Julho de 2008

...consegues guardar um segredo?

Foto: Graça Loureiro

 

Fechada em mim

tropeço em pensamentos redondos,

repletos de ti

plenos de nós...

Divirto-me a escolher a sós

todos os nossos segredos

E o braço invisível do tempo

transporta-me até eles,

...um por um

e num doce estremecer,

regresso ao agora

e,

as memórias,

as secretas memórias,

voam com o vento

e deixam um rasto de sonho

sem falta nenhuma.

Sorrio feliz

e penso na frase:

"contas-me um segredo?!"

que sei

que tanto te diz.

 

 

Kid Rock Featuring Sheryl Crow "Picture"

 

 

 

 

 

tags: , ,
publicado por Sara Rocha às 17:10
link do post | favorito
24 comentários:
De Cavalo Alado a 21 de Julho de 2008 às 11:01
Soja,
Os segredos são para guardar senão não o são.
Ao longo da minha vida muitas têm sido as pessoas que me confiam segredos: porque gostam de os partilhar, porque têm necessidade de desabafar, porque gostam de se empavonar, enfim, confiam em mim.
E eu lá voiu aguentando com o peso desses segredos: as pessoas não podem com eles e atiram-nos para cima de mim...e eu, guardo-os, a sete chaves. Assim foi e assim será para sempre.
Quanto aos teus, se os tens não os conheço pois tão pouco te conheço a ti, apesar de continuar com ansiedade de um dia te conhecer e conatr o meu segredo...
Tens uma imaginação sem limites adoro ler-te. Até sempre...
De Carlos Gama a 18 de Julho de 2008 às 15:45
Aplaudo com todo o meu Eu as suas palavras.

Está magnifico este post, o tema do poema, o poema (principalmente) a fotografia e o tema musical.
Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!
De Milesimo de Segundo a 18 de Julho de 2008 às 15:26
"Divirto-me a escolher a sós
todos os nossos segredos"
Que frase fabulosa, de uma sensibilidade e habilidade fora do comum...
Isto é poesia.
Gostei também quando escreve:
"as memórias,

as secretas memórias,

voam com o vento

e deixam um rasto de sonho

sem falta nenhuma."
è tremendamente gratificante rever memórias e não existir o "incómodo"da Falta.
Lindo, lindo, adorei este seu poema Sojacaustica.
Afinal, quem é você?
(é segedo ;-))


De Anónimo a 18 de Julho de 2008 às 12:57
Envolvermo-nos em segredos de outros, nossos. Segredos doces, amargos, mas, que trazem memórias e as memórias é o que resta do tempo e por vezes o que sobrevive a ele.
Lindissimo poema.
De Marta Fernandes a 18 de Julho de 2008 às 12:49
Fantástico Sojita!
De Teclas a 18 de Julho de 2008 às 12:31
Sorrio...ao ler este segredo.
Parabéns por este magnifico post.

P.P.C.
De Magda Gonçalves a 18 de Julho de 2008 às 12:26
Que suavidade, que facilidade magnifica em apresentar o abstracto...
Cada vez gosto mais de a ler.
Perfeito!
De EU a 18 de Julho de 2008 às 11:19
...e o braço invisível da vontade transportou-me até aqui...e, nem fiquei surpreendido porque já conto com post cada vez melhores.
Bravíssimo Sojacaustica!
De sagher a 17 de Julho de 2008 às 18:28
a subtileza das imagens escritas surpreendeu-me
mas é assim a poesia, um caldo de espantos.
ainda bem
De Tiago a 17 de Julho de 2008 às 18:26
Está fantástico este post!
O seu blog começa a ser de leitura obrigatória Sojacaustica, muito bem!

Tiago Almeida e Brito

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds