Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

magnetic variation

Aloísio Brito

 

Foto: Aloísio Brito

 

 

O tempo corria lento

e lento querias tu o tempo...

 

 

Ameno deslizar de almas

em plena primavera invertida...

passo

em slow motion, agora

divertida...

A realidade abstracta

de um desejo sonhado,

vivido

numa tarde serena,

que espera

desesperada

pelo próximo beijo

intenso,

profunda será a comunhão de nós...

e o reencontro

anseio por ele

lento...

como tu gostas ...que seja o teu tempo.

 

 

 

 

 Adrienne Pierce - Laundry and dishes

 

 

 

publicado por Sara Rocha às 10:58
link do post | favorito
11 comentários:
De Mingus a 29 de Maio de 2008 às 11:55
No inicio questionei-me acerca do porquê do titulo em inglês, depois pensei: porque não??? há que inovar!!!
Mais uma vez gostei muito do post, no seu conjunto.
Adorei o jogo de palavras acerca da beleza e do desejo da lentidão do tempo.
Pergunto-me se foi real essa tarde ou uma fantasia. Olha, seja o que for, continua, tou a gostar muito Sojacaustica!
De Ricardo Amaral a 28 de Maio de 2008 às 10:51
Parabéns pelo seu blog, é a primeira vez que cá venho e gostei muito do que li, vi e ouvi.
De Lilás a 28 de Maio de 2008 às 10:31
Intimista, simples e belo esse seu poema.
Ilustração e música de muito bom gosto.
Parabéns Sojacaustica


Lilás
De Raquel Sofia a 27 de Maio de 2008 às 18:44
Que lindo poema e que linda música Soja!!!!
Onde vais tu "desencantar" estas coisas qua tanto me encantam????
De Lua Nova a 27 de Maio de 2008 às 18:32
Intenso.
Sentido.
Invejo-a por sentir dessa maneira.Quem me dera sentir assim!
Gosto muito da sua escrita.
Continue, fico à espreita.
De Laranja Mecanica a 27 de Maio de 2008 às 18:07
Tou a gostar ( e eu que dizia k não gostava de poesia!!).
Gosto da tua poesia Soja, é cool ;-)
Tá muito giro
De Pedro Salvador a 26 de Maio de 2008 às 18:16
Gostei muito. Muito.
Uma delicia este seu post!
Obrigado, é bom começar a semana a ler algo tão doce.

De cavalo alado a 26 de Maio de 2008 às 17:49
Soja,
A tua imaginação não tem limites...
Mais um texto descrivo em fazes a gente sentir...

A espera dá ansiedade que, se for controlada, até é excelente...e, no fundo, quem espera sempre alcança. Não é assim que diz o velho ditado?
De Banderas a 26 de Maio de 2008 às 17:09
Olá SOJA.

Ja escrevi que a espera desespera...

Mas, a ansiedade da espera também é bela ...

Dou-te todo o tempo do mundo!

Quem me dera.

Continuas em forma.
De Aníbal Coutinho a 26 de Maio de 2008 às 15:30
Que beleza tem o tempo, quando é lento, assim como esteseu post..a beleza do sentir, o tempo sem pressa, a ansiedade da espera e a probabilidade de um beijo.
Excelente.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds