Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

ao som do silêncio...li isto!

 

Ao passar por entre muros sujos e portas quebradas, entrevejo olhos brilhantes como os meus e almas penadas como a minha.

Por entre miséria e medo, ali me reconheço, e nada posso fazer para impedir o que o destino nos reserva. E o negro toma conta de mim, e a esperança desvanece-se como se de um sonho infantil se tratasse.

Mas...

...por vezes...

...anjos chegam …de sortes inexplicáveis…e então rio, canto e escrevo, e volto a respirar, e nítidos soam os risos das crianças…


E então compreendo que não estou sozinha.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Sara Rocha às 18:16
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds