Sexta-feira, 27 de Julho de 2007

Tic-Tac

Foto:Bruno Melo

 

 

Os ponteiros, de súbito esconderam-se atrás do tempo,

A multidão desvanece-se no silêncio das ruas.

Sem rosto, os corpos movem-se como loucos que procuram no caos

um sentido, um quadrante, uma fórmula que elimine a indeterminação das horas.

 

O tempo assiste, sereno.

O tempo sorri.

O tempo sem horas...

O tempo sem tempo.

 

Os ponteiros voltam

e num ápice, devolvem o tempo...ao tempo.

...

O tic-tac recomeça

A multidão respira, aliviada.

O tempo é tudo

O tempo é ... nada.

 

 

 

 

 

tags: ,
publicado por Sara Rocha às 16:09
link do post | favorito
1 comentário:
De Banderas a 30 de Julho de 2007 às 00:25
Tempo, tempo, tempo ...

O tempo é como um rio.
Água limpa que não volta.
Como não volta o tempo passado ...

Gostei. Infelizmente o tempo não pára!
No entanto existem momentos nas nossas vidas que deveriam ser eternos ...

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds