Terça-feira, 26 de Junho de 2007

Cumplicidades

 

 

 

Desejo de ti

Perversidades contigo

Corpo que quer

Mente que pede

Pele húmida

Que te chama

Que sua por ti

Abandono cúmplice

Vício

Transgressão

Fragilidade

Sussurros..teus

Vontade...de nós!

 

 

 

 

publicado por Sara Rocha às 18:25
link do post | favorito
5 comentários:
De Banderas a 29 de Junho de 2007 às 01:11
Todos temos daqueles dias.
Os homens também.

Pois …

Confesso que da foto não gosto particularmente.
Do texto sim. Lindo!

O desejo leva à perversidade (!).
A transgressão dá um prazer maior.
A correr … ainda mais.
O tempo é pouco.
Tem que ser bem aproveitado.
Os corpos enrolam-se.
As peles transpiram.
Os corpos escorregam.
O prazer multiplica-se.
Por que o tempo corre depressa.
Tem que ser bem aproveitado.
O tempo passou …
É apenas um jardim de sonhos
A importância deste jardim é o sonhar trazer-te até mim.
Sonhando que naquelas noites de frio poderia ser o teu cobertor.
Que poderias ser o meu doce mel e um pedacinho do meu céu.
É assim que as flores deste meu jardim se sentem tristes, murchando aos poucos, esperando um sorriso teu …
Sim, cada post deste blog é um sorriso teu.
Assim, se vai sobrevivendo neste jardim de sonhos …
De Dinis a 28 de Junho de 2007 às 22:48
Folha de …

Nesta folha branca de papel
Registo da última madrugada
Curtas linhas de meu pensamento
Lembro-me perdidos no tempo
Que uma folha de…
No pomar mereceu tua atenção
Morta no teu pensamento
Engano teu, castanha eu ?
Dormitava à tua espera
Mantinha-se fresca em tom verde
Estendeste-me tua mão
Senti o teu afago
Voltaste a ser menina
Não estás moribunda
Deixa-te levar pelo vento
Um afago algures te espera
Como eu folha de … recolhi o teu
Seiva viva corre em nós
Empurrada pelo vento
Receias onde parar
Caminha como fizeste neste pomar
Encontrarás o teu próprio esplendor
O sentimento puro, doce e belo
Existe na profundeza da tua alma
Afaga-me mais uma vez
Olha-me com teus olhos pequeninos
Deixa-me cair lentamente
Repousarei na terra fresca
Voltarás ao meu lugar
Trarás o teu novo afago
Cruzar-me-ei contigo no interior da tua alma
Perpetua-te no tempo
Parte confiante em novo encontro
O tempo passou
Tua alma clareou
Um ser em tudo semelhante
Olha-te como folha de ….
Afaga-te com suas mãos
Sentes a alma liberta
Um pomar em ti se criou
Gotas de amor como chuva caiem
E molha a tua verde alma
Vives como folha de ….
Sinto doce a tua seiva
És a minha folha de pereira.

Sinto-me: um fruto maduro

28-06-2007
De black cod a 28 de Junho de 2007 às 15:36
IMPLÍCITO
Más allá de las palabras ,
" brincando" como duendes
estan los sentimientos
claros y bien senzillos
no se pueden esconder
ni apartar
ni olvidar
ni despedir.

Sí verdad es calidad
quede claro que quererte (1) y desearte
forman parte de mi .
Sí alguien me pregunta dire SÍ
bien alto y fuerte,
lo que entendera,
sea lo que sea ,
siempre estara dentro del conjunto.

Si lo has empezado a manifestar
elevandolo a escritura publica
no lo pretendas desdibujar/disfrazar.
Has dado un gran paso
solo falta reconocerlo en su totalidad .

Estando en un mismo plano
cuando intentamos situarnos fuera
solo creamos
inseguridad, incongruencia , contradicción . . .

No puedo ser
ni tu amigo,
ni tu amante,
ni tu confidente.
Es todo o nada.
Eros-Fília-Ágape.

Esa flor que crece
sea o no sea - hay mas que si que no -
no importa
la siento y reconozco como si tal.

Tu y yo
somos de este unico mundo
los imites, barreras y fronteras
solo nosotros mismos
los podemos y sabemos fabricar.

Solo cambian
se transforman y . . . mueren
todos los cuerpos .

Dualidad es uno i viceversa.
No se debe olvidar
la otra cara de cada moneda .

Sojacaustica ,
compartimos la expectativa de la complicidad
sea :
sueño-fantasia-realidad ;
oasis-recuerdo;
logica-irracionalidad;
insconciente-consciente . . .
todo es uno
y
forma parte de esta misma unidad.

¡ Es el reto !!!!!!!!!!!

Besinhos y . . .

*** Recuerda
Dar sin recordar
Recibir sin olvidar

(1) T'estimo -sojacaustica dixit-
De Sara Rocha a 2 de Julho de 2007 às 23:12
La respuesta és: SI!!!
De Banderas a 27 de Junho de 2007 às 20:34
O stress secou-me a alma que já nem sonho ...
O desejo foi-se.
As perversidades não acontecem
A mente não pede nada
A cumplicidade não se sente
Nem sussurros ouço
Vontade ... só de férias

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds