Segunda-feira, 19 de Março de 2007

Sonho de Ti

O espelho reflecte imagens de nós..eu olho-o e reconheço-me abraçada a ti.

O teu cabelo confunde-se com o meu e as nossas mãos deslizam sem destino, irrequietas e húmidas .

Olhamo-nos, sentimo-nos e quando as nossas bocas se unem deixamos de ser ... misturamo-nos, unidos pelo corpo e pelo imenso desejo do outro esquecemos o mundo

Estou coberta por ti...

contigo em mim

profundamente em mim e penso que daqui a umas horas, este momento vai ser mais uma memória...todos os prazeres são fantasia, excepto este... tão real e tão efémero.

o espelho é testemunha, não é sonho...é de sonho.

Sonho

Sonho de Ti.

tags:
publicado por Sara Rocha às 17:58
link do post | favorito
|
3 comentários:
De Banderas a 25 de Março de 2007 às 23:36
A Saudade Mata Gente

Fiz meu rancho na beira do rio
Meu amor foi comigo morar
E na rede, nas noites de frio
Meu bem me abraçava para me agasalhar
Mas agora meu bem foi embora
Foi embora e não sei se vai voltar
E a saudade nas noites de frio
Em meu peito vazio vai-se aninhar

A saudade mata gente, morena
A saudade é dor pungente, morena
A saudade mata gente, morena

De João de Barro e António Almeida

e ainda de Guimarães Rosa esta frase divinal:

"Amor é sede depois de se ter bebido".
De Banderas a 22 de Março de 2007 às 18:04
Como gostaria de sentir o teu sentir, de te velar enquanto dormes ... mas tudo não passa de um sonho. Um sonho de Ti sem Ti e para Ti ...

Dorme enquanto eu velo ...
Deixa-me sonhar ...
Nada em mim é risonho.
Quero-te para sonho,
Não para te amar.

A tua carne calma
É fria em meu querer,
Os meus desejos são cansaços.
Nem quero ter nos braços
Meu sonho do teu ser.

Dorme, dorme, dorme,
Vaga em teu sorrir ...
Sonho-te tão atento
Que o sonho é encantamento
E eu sonho sem sentir.

Fernando Pessoa in Antologia Poética
De Banderas a 21 de Março de 2007 às 18:19
Espelho meu, espelho meu ... há alguém mais bonito que eu?
O espelho não responde, continua inteiro, mas não vejo nem sinto ninguém ... nem sonhos, nem murmúrios , nem nada ...
Mas há algo que não se vê mas que paira no ar. Serão pensamentos ou ... não será nada! Ou será "ISTO":

" Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é,
Sentir! Sinta quem lê!

Fernando Pessoa in Antologia Poética

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Continua

. Sem tempo

. Quantas?

. Carta de Amor

. Dance me...in Donostia!

. Este Amor

. Feliz cumpleaños!

. Alucinação

. Poema de amor.

. Agarra ou foge!

.arquivos

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds